Eutanásia

Eutanásia

substantivo feminino

1. teoria que preconiza a antecipação da morte de doentes incuráveis, para lhes poupar os sofrimentos da agonia;

2. acto, não legalizado, de antecipar a morte de doentes incuráveis, para lhes abreviar o sofrimento;

(Do gr. euthanasía, «morte doce e fácil», pelo lat. eutanasìa-, «id.», pelo fr. euthanasie, «eutanásia»)

Não tenho por hábito pegar em assuntos muito pesados e colocá-los em discussão, tirando um ou outro que me deixa mais impulsionado a faze-lo, mas apenas do meu simples ponto de vista pessoal, e hoje a ouvir uma reportagem sobre uma menina que está em estado vegetativo sem hipótese de ter uma vida normal, levou-me a dar a minha opinião sobre este assunto tão debatido, tão questionado, tão melindroso como a eutanásia. Não compreendo como chegamos aos dias de hoje e ainda se anda a debater a sua legalização, ou de quando a quando os meios de comunicação social se lembram de pegar no assunto, e mais uma vez lançar o debate em praça pública para depois mais uma vez cair no esquecimento, mas não do esquecimento de quem sofre.

Na minha opinião não se deveria obrigar ninguém a viver assim, mesmo que em estados não tão graves, em estado consciente, mas de perfeita consciência que não querem viver assim, mas, não lhes é permitido partir, e os prendem a esta vida agarrados a uma cama, se a isto lhe poderemos chamar vida, nem me quero imaginar na pele dessas pessoas que sofrem, ou nas famílias que vivem o seu dia-a-dia em função de um familiar que para tudo de eles depende. Nunca passei por uma situação destas e sei que só passando pelas próprias situações, teremos verdadeiramente a compreensão das mesmas, e não caio da asneira de dizer que sempre tirei está opinião (se eu tiver numa situação destas), na situação de familiar penso que me custara mais a agonia de ver quem quer partir e não lhes é permitido, do que o sentimento de os ver partir, mas é a minha opinião do momento.

Mas sem mais debates, sem em muito pensar eu sou a favor da eutanásia.

15 comentários:

lélé disse...

Também vi a reportagem e achei aquela mãe de uma imensa coragem. Sou a favor da eutanásia, também. Sempre questionei aquela situação colocada pela médica do INEM e nunca tinha sequer visto o ponto de vista que ela apontou: o dilema com que tantas vezes se debatem e a pressão com que tantas vezes são obrigados a decidir pelo que consideram (e de facto é) pior.

Luz disse...

Vou abordar isto como dois temas em separado. A eutanásia e aquela situação numa criança.

Para mim aquela situação daquela criança é um erro médico! Aquela criança nunca deveria ter sido reanimada.
Não vou falar aqui do que disse a Dra Isabel Santos (INEM), porque sei quem ela é, não gosto dela e o que ela diz nas reportagens não é o que ela faz, portanto não vou pegar no que ela disse, como fez o lélé.
Acho que há uma coisa chamada viver com o mínimo de dignidade. Os médicos devolveram a vida daquela criança mas não a dignidade!Está incorrecto, no meu ver.

A eutanásia, sou completamente a favor. Facilmente explico porque penso assim:
Se eu tenho o direito de me suicidar estando fisicamente saudável, porque não o tenho quando infelizmente deixei de ter a capacidade de mexer as mãos e os braços para o poder fazer???

Já vi dois familiares meus morrerem com cancro. O sofrimento é horrendo. Porque não puderam eles escolher?

O marido de uma senhora suicidou-se em Dezembro porque não queria passar pela fase terminal do cancro que tinha. Porque não podem escolher quem ficou fisicamente incapaz de o poder fazer sozinho?

Bj

Bento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bento disse...

Luz As respostas as tuas perguntas poderiam ser dadas e de forma positiva com a criação urgentemente de uma lei a favor da eutanásia, mas não me parece que esteja em agendamento politico têm coisas mais ""importantes"" a resolver que aliviar o sofrimento das pessoas....

sonjita disse...

Eu também sou a favor da eutanásia, acho que todos temos um direito de escolha e, tal como a Luz disse, se em plena saúde física podemos optar pela vida ou pela morte porque não ter a mesma opção quando condicionados a algo, não digo fatal, mas sim que apesar de não nos matar nos condiciona uma vida... acho que ninguém merece viver preso a uma cama sem falar, sem se mexer e ser totalmente dependente de outros... é uma dor imensa para quem vive assim, em estado vegetativo, e para as famílias que vivem uma dor de impotência.
Quanto a situações de cancro, não sei... cada um que escolha por si mas sinseramente já fico mais relutante... vi alguém que amava muito morrer um bocadinho cada dia à minha frente, sofri pela impotência de nada poder fazer por ele... vi que ele sofria, sofriamos todos e ainda doi tudo o que vivi mas, prefiro ter esta dor em mim e saber que estive com ele até ao último minuto que me foi permitido...
Bjs

raquel disse...

Quando ontem aquela mãe disse : "Gostaria de ter a coragem de não chamar por ajuda quando a minha filha tiver outra crise..." fiquei preplexa pelo o acto de coragem.
Sou a favor da eutanásia, mas também tenho a perfeita consciência do meu egoismo e não sei até que pondo conseguiria ver alguem que amo optar pela morte.
:(

Filipe Moço disse...

Não vi a reportagem mas vou comentar o tema. Acho que ninguém em estado vegetativo devia ser mantido vivo artificialmente, isso não é vida mas sim... não encontro palavra para descrever.

Ter uma doença é uma coisa, agora saber que se vai sofrer até morrer é outra... Isto é um ponto que os "éticos", "intelectuais" e os "diz que é uma espécie de políticos" não se entendem.

Mas deixando o politicamente correcto, não há eutanásia porque indústria farmacêutica não quer!
Os doentes terminais são o mina de ouro...

Triste mundo em que vivemos!!!

Yashmeen disse...

Eu sou a favor, mas tu disso já sabes :)

Klatuu o embuçado disse...

Eu acho que se fala mais é na «ele»-tanásia: dá que pensar, se um gajo dorme uma semana seguida, ainda pensam que está em coma... e fodem um gajo! :)

Abraço.

NaRiZiNHo disse...

Só vivendo a situação se cnsegue tomar uma opinião.
Infelizmente, é algo pelo qual espero não voltar a passar.
:-*

Anónimo disse...

Eu estou a favor da eutanásia para min se eu podece escoller.Nao sei se teria a coragen de a escoller para otra pessoa querida.esta e a minha opiniao agora. beijos
anamorgana

noctivaga disse...

O problema do fim da vida constitui, a vários titulos, uma daquelas matérias que levantam rejeições atávicas - independentemente do ponto em que nos situemos ou da matriz ética, religiosa, jurídica ou filosófica de que partamos - a ser tratada, valorada ou estudada, para além de ser o lugar onde todas as incompreensões são possiveis.
Tenho muita dificuldade em assumir uma posição sobre esta matéria.Mesmo muita. Poderia dizer que sou a favor mas, se um familiar meu estivesse nesta situação, na hora H, as minhas duvidas seriam avassaladoras. O dilema matár-me-ia também. Não sei, não sei.

Luz disse...

Filipe Moço,
Concordo contigo, mas há pessoas em estado vegetativo que não são mantidas vivas artificialmente. O coração e os pulmões funcionam espontaneamente, o cérebro é que está morto, ou grande parte dele. Ainda assim, acho que não vale a pena.
Fica bem
Luz

Blueshell disse...

É complicado!

Beijo em azul
BShell

Dark_Night_Walker disse...

Também não vi a reportagem e sou, sem dúvida, a favor da eutanásia. Já vi situações muito deprimentes. E se um familiar meu estivesse numa situação dessas e desejasse acabar com o sofrimento, eu lutaria contra os médicos para que lhe fosse feita a vontade.
Vida com sofrimento, naquelas condições, não é vida.