O morte,

De um alto apregoada,

Fujo dela e nem penso,

De todo, tão indesejada,

Cruel,

Triste,

Amargurada,

Tão grande ceifeira,

Levas do mundo o que existe,

Deixando para sempre triste,

Quem com lágrimas,

Diz um último adeus,

A um amor seu,

Para tantos salvação,

Deste mundo sem perdão,

De tão pouco palavras,

Escrevo dores que senti,

As que marcam, e ficam,

Dos que perdi,

De presença terrena,

Mas que no coração ficam,

Para que viver valha a pena,