ESPELHO DE ÁGUA,

Sem comentários... ou não!!!!


Espelho de água,
Para ti olho
Sem nada conseguir ver
Sem nada conseguir encontrar
Procurando, procurando sem achar
Em ti apenas vejo reflectido
O meu simples ser
A minha imagem distorcida
A minha vida tão curta
Mas tão sofrida
Um rosto!
Um rosto
Cheio de magoas,
Cheio de tristezas,
Sem vontade de sorrir
Olhos tristes,
Que perderam seu brilho,
A todo o custo
Esboço um sorriso
Tudo e tão belo
Verde, azul, amarelo.
Um mundo cheio de cor
Mas perdi a vontade
A vontade de sorrir
A vontade de chorar
E só me resta contemplar
A minha imagem distorcida
No espelho de água reflectida


28.07.2000

I.B.

3 comentários:

Anónimo disse...

Estes meus olhos cansados, verberados pelo tempo.
Relembro-te imagem.
Esse olhar, esse sorriso de chama ardente. O passado torna-se presente neste meu olhar cansado e baço.
Já não sou mais do que um esquleto moribundo e a noite cai. E o dia nasce.
Vejo-te, serás mesmo tu? Escuta as cigarras... Eternidade és tu.
Trago-te no tempo.

Virgínia disse...

Este poema é muito profundo zizi!!! Realmente tens jeito aki para estas coisas...
beijokas

Yashmeen disse...

Lembraste-me o mito de Narciso na beira do lago...